Como posso ajudar meu cônjuge com suas dificuldades em cumprir os mandamentos?

Pergunta

Sou casada com um portador digno do sacerdócio a vários anos. Temos uma filha pequena. Quando se trata das rotinas do evangelho em nosso lar, sinto que meu esposo não se sente motivado para cumpri-las.

Ele nunca toma a iniciativa para fazermos uma oração ou estudarmos em família, o processo para nos arrumarmos para ir à Igreja parece um campo de batalha, sempre ficamos irritados. Uma vez senti que é muito mais fácil se eu for sozinha.

Tentamos fazer o estudo das escrituras via mensagem de texto, porque ele trabalha até tarde, mas ele não se empenha para fazer a parte dele. Ele diz que não faz estudo pessoal das escrituras.

Estou me sentido muito sozinha. Como se de repente, eu fosse a única que precisa do evangelho em nossas vidas. Toda vez que tento falar com ele sobre este assunto, ele fica na defensiva e nada muda. Já conversamos com o bispo, mas não conseguimos nos entender. O que devo fazer?

inativo

Resposta:

Muito obrigado pela sua pergunta. Gosto quando você descreve o seu marido como um “portador digno do sacerdócio”. Isto reflete a sua visão dele através da identidade divina que ele tem, e não de suas presentes atitudes. Deve ser difícil ter que assumir o manto da liderança do evangelho em seu lar sozinha, ao invés de ter um companheiro para dividir esta tarefa.

O fato é que de tempos em tempo, todos nós lutamos com a nossa dedicação ao evangelho. É muito comum nos tornarmos letárgicos em nosso estudo do evangelho, oração pessoal, ou até mesmo com a frequência à Igreja, ao lutarmos nossa batalha interna entre as luz e as trevas, a retidão e o pecado, a abstinência e a tentação, e até mesmo a devoção e a apatia.

Ao te oferecer alguns conselhos gerais, quero prestar meu testemunho de uma das grandes promessas do Salvador. Sempre que tenho uma conversa importante e delicada com alguém, (especialmente com alguém que amo), a faço em espírito de oração.

Peço (e as vezes jejuo) para que o Espírito me guie. Posso planejar o que quero dizer, mas ao ser guiado pelo Espírito Santo, permito que minhas palavras sejam adaptadas ou as abandono por completo.

Na terapia com meus pacientes, ao cuidar de meus filhos, ou resolver um conflito com a minha esposa, ao tentar ajudar relacionamentos entre amigos ou família, quanto tenho que ter uma conversa (ou muitas conversas) tensa, lembro da promessa do Senhor que diz:

“Porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós que falais, mas o Espírito de vosso Pai, que fala em vós.” (Mateus 10:19-20)

Como temos acesso a esse Espírito? O próprio Cristo nos disse que:

“Nem de antemão vos preocupeis com o que haveis de dizer; mas entesourai sempre em vossa mente as palavras de vida e na hora precisa vos será dada a porção que será concedida a cada homem.” (Doutrina e Convênios 84:85)

Sinto que devo te dizer que não subestime o poder de abrir as escrituras em sua mente e coração para a sabedoria de Deus. Exorto você a estudar a palavra de Deus através de seus antigos e modernos profetas, e a buscar por respostas específicas tanto para conseguir ajuda para si mesma, quanto para ajudar o seu esposo.

Pode ser que muitas coisas estejam acontecendo. Talvez ele esteja muito fraco e não acredite que tenha a capacidade mental, espiritual ou emocional de se comprometer verdadeiramente com ‘mais uma coisa’.

Talvez ele esteja lutando com seu próprio testemunho ou esteja lidando com algum pecado que o deixe na escuridão (embora seja um erro fazer este tipo de suposição). Ou pode ser qualquer outra coisa.

Mas você nunca saberá, a menos que ele se abra, e isto está fora do seu controle. No entanto, é algo que você pode influenciá-lo a fazer.

O fato dele não querer falar sobre o assunto e ficar irritado, sugere que pode ser algo que o incomode, e apesar dele responder de maneira defensiva (ou se abster) não importa qual seja a sua abordagem, existem algumas coisas que você pode tentar fazer que podem ajudar ele a se abrir.

tratar o cônjuge como quer ser tratado

Muitas pessoas se afastam ou recuam ao serem criticadas. Não estou dizendo que você está fazendo isto, provavelmente você tentou abordá-lo o mais suavemente possível antes de tentar da maneira mais brusca.

Nesse caso, a vulnerabilidade é a chave. A questão não é sobre as “falhas” dele, ou como ele pode (ou não) estar te “decepcionando”. Em partes, pode ser que esse seja o caso, mas não é o melhor caminho a ser seguido.

Vergonha, culpa, desaprovação e críticas geralmente não amolecem corações. Ao contrário disto, pense em uma abordagem voltada para:

“Quando o assunto é o evangelho, sinto que existe algo que nos divide. Não quero me sentir assim. Quero estar sempre próxima a você. Sinto falta disso. Sinto falta me sentir próxima a você. Sinto falta de sentir que somos parceiros. Estou aberta a saber o que fiz para que isso acontecesse, e peço para que você esteja aberto para que possamos nos reaproximar. Não importa pelo que você está passando, estou aqui para te ajudar. Mesmo que seja difícil de conversar sobre o assunto, estou aqui para te ajudar. Não posso prometer que não irei me machucar, mas posso prometer que serei grata e honesta, e que isto nos ajudará a confiarmos um no outro. Você quer me contar o que está acontecendo com você, e como eu posso te ajudar?”

Você não precisa usar exatamente essas palavras. Tenho visto que esse tipo de vulnerabilidade funcionou com várias pessoas em situações similares a sua.

E novamente, se você buscar o Espírito, ele te guiará em suas palavras e guiará o seu esposo ao recebe-las. Se o Espírito Santo te levar para uma direção diferente, o siga. Mas em muitos casos, ele te guiará em um tipo de abordagem como a que sugeri.

O seu próximo passo dependerá da resposta de seu esposo. Existem muitas variáveis e possibilidades para que eu possa descrever nesse artigo, mas direi que as pessoas não devem ser julgadas por voltar à Igreja, devem ser amadas.

E se ele nunca mais sentir aquele fogo pela fé novamente? Isso dependerá de vocês dois, mas se aproximar do Pai, de Seu Filho e do Espírito Santo, junto a práticas de amor, perdão, compaixão e retidão pessoal, te ajudarão ao longo de seu caminho.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Essa simples pergunta irá melhorar todos os seus relacionamentos

O post Como posso ajudar meu cônjuge com suas dificuldades em cumprir os mandamentos? apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *