O poder da escritura certa no momento certo

O convite da campanha da Igreja Seja a Luz do Mundo desse último domingo foi “compartilhe uma escritura com um amigo ou um ente querido que precise de um incentivo hoje.”

Quando eu era missionária em Blantyre, Malawi, me senti desencorajada e oprimida, assim como muitos missionários se sentem em algum momento, durante o serviço missionário.

Arte por Annie Henrie

Durante esse momento de desânimo, minha companheira compartilhou uma escritura comigo que eu nunca esquecerei e que fez toda a diferença para mim. Segue abaixo um pedaço do que escrevi em meu diário sobre aquele dia:

“Hoje não foi o meu dia. Eu tentei tanto pensar positivo e ficar animada, mas terminei meu dia chorando muito. Saímos de casa um pouco atrasadas por causa do planejamento semanal e depois de andar 15 minutos sem encontrar um único ônibus para ir à cidade, recebemos uma ligação da segurança dizendo que deixamos a nossa porta de trás aberta.

Então tivemos que andar de volta para casa e estava tão quente, e minhas companheiras não ligam muito para o tempo como eu ligo, então elas andaram devagar, tínhamos um compromisso para ir e eu estava frustrada.

Então, quando finalmente chegamos a Chilimoni (Deus nos abençoou e conseguimos pegar um ônibus rápido) e demos a nossa primeira lição, eu estava encostada na parede, e então no meio da lição percebi que meu cabelo e minhas costas estavam cheios de formigas.

Sim, eu não consegui sentir o Espírito durante aquela lição. Eu estava um pouco distraída com a colônia de formigas que andava na minha cabeça. Não é que o resto do dia foi horrível – tivemos boas lições – mas eu estava emocionalmente e fisicamente exausta.

Eu realmente não sei o que me levou ao meu limite hoje. Nada de horrível aconteceu, e não estávamos nem em minha área, mas por alguma razão não consigo parar de chorar.

Como planejamos hoje de manhã e agora a noite, liguei para cada pesquisador que eu poderia pensar e todos eles disseram que “nos retornariam.” Acho que estou me sentindo um pouco desencorajada, apesar de eu odiar ter que admitir isso.

Gente, isso é difícil. Fui chamada para dar um passo a diante e estou me esforçando para mudar tudo o que posso, para fazer tudo certo e ainda assim, parece que nada está acontecendo.

Ninguém está progredindo ou indo à Igreja ou cumprindo os compromissos. Acho que me sinto completamente inadequada e incerta de que o Pai Celestial está feliz com os meus esforços.

Estou dando o meu melhor a cada dia, mas de alguma maneira, sinto que deveria ser ainda melhor. Não sei o que mais posso fazer. A menos que a vontade do Senhor seja que, não importa o quanto eu tente, não encontraremos os preparados.

A Sister Dlamini me relembrou de minhas próprias palavras sobre como o Senhor está nos apressando. Ele precisar refinar as Suas ferramentas antes de fazer o trabalho.

Ela acabou de me lembrar que esse é o trabalho do Senhor, não o nosso, e se estivermos fazendo o nosso melhor e nada acontecer, tudo bem – o Senhor sabe como fazer o trabalho Dele.”

Então ela citou os seguintes versículos de Éter 6:

“E aconteceu que o Senhor Deus fez com que soprasse um vento furioso sobre a face das águas, em direção à terra prometida; e assim foram eles impelidos pelo vento sobre as ondas do mar. E aconteceu que foram muitas vezes submersos nas profundezas do mar, em virtude das ondas gigantescas que se quebravam sobre eles; e também das grandes e terríveis tempestades causadas pela fúria do vento. E aconteceu que quando eram submersos nas profundezas do mar, a água não lhes causava dano, porque seus barcos eram ajustados como um vaso e também eram ajustados como a arca de Noé; portanto, quando eram envolvidos pelas muitas águas, clamavam ao Senhor e ele novamente os fazia voltar à tona d’água.”

E então ela me disse:

“O Senhor não acalmou o mar para os Jareditas, mas Ele os preparou com barcos a prova d’água para que eles pudessem navegar por bravos mares.”

Quando a minha companheira compartilhou aquelas escrituras comigo, consegui enxergar a mim mesma e ao meu chamado de uma nova maneira, abrindo a minha perspectiva e me ajudando a seguir em frente com alegria, independente da rejeição e de desagradáveis circunstâncias.

Vi que não estava ali para navegar por águas calmas. Eu passaria por tempestades (até mesmo pela tempestade das minhas próprias fraquezas e imperfeições), mas quando finalmente segui a Jesus Cristo e me preparei, Ele permitiu que eu resistisse à tempestade.

Fonte: Meridian Magazine

Relacionado:

“Encontre minha família” – Quando uma voz guiou um missionário na Nicarágua

O post O poder da escritura certa no momento certo apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *