Missionária atropelada durante a missão continua a pregar o evangelho em casa

Há um ano atrás, Monique McDown foi atropelada enquanto servia uma missão de tempo integral em Curitiba, Paraná. 

Sister McDown tinha servido somente seis meses como missionária quando o acidente aconteceu. Ela e sua companheira estavam procurando novas famílias para ensinar, durante um domingo normal de trabalho missionário. Elas andavam por uma rua de terra, sem calçada, quando Monique sentiu que ela e sua companheira deveriam se afastar o máximo possível da estrada. Pouco tempo depois, elas ouviram um carro se aproximando, o motorista deu um giro com o carro, bateu em McDown e fugiu acelerando. 

Aparentemente, Monique não tinha quebrado nenhum osso e por conta disso sua permanência no hospital durou somente quatro horas. Entretando nos dias seguintes, algo estranho começou a acontecer com sua perna. Uma dormência começou a se espalhar e se estendeu até os dedos, seguido de uma paralisação completa da perna direita.

Uma semana e meia depois do acidente, Monique precisou voltar para sua casa, em Flower Mound, Texas, EUA. Os médicos preveram que Monique recuperaria os movimentos de sua perna com o tempo e estimaram apenas algumas semanas para sua recuperação. Essas semanas levaram meses e os meses se tornaram em um ano. Também foi descoberto lesões em sua coluna e também nos nervos da região sacro-lombar.

Toda essa experiência não tem sido fácil para Monique. Ela disse que tem recebido muita ajuda e apoio dos pais, família e amigos, além do bálsamo e da força que recebe através da expiação de Cristo.

Fonte: Church News
Foto: Cortesia Monique McDown

“Uma das melhores escolhas que fiz foi permitir que essa provação me torne alguém melhor, porque sei que provações são inevitáveis. Elas acontecem com todas as pessoas”, disse McDown. “Mas podemos escolher o que fazer com elas… Tem sido muito difícil. Tem dias que eu penso ‘não consigo mais’, mas a escolha que fiz de confiar no Salvador me ajuda a passar por tudo isso.”

Depois de ser desobrigada como missionária, Monique recebeu uma promessa de seu presidente de estaca, Jonathan Cannon, de que ela voltaria a andar. Ela disse que naquele momento, sentiu que realmente andaria novamente, pois o Espírito tinha confirmado isso em seu coração. Ela só não sabia quanto tempo levaria, só sabia que iria acontecer.

Como parte de seu tratamento, Monique frequentou inúmeros hospitais e clínicas. Ela tem se esforçado muito para manter seu corpo forte, fazer fisioterapia e se manter positiva. McDown tem frequentado o templo e intensificado suas orações e jejuns. “Eu só disse ao Pai Celestial que eu aceito completamente quem eu sou”, disse.

“Eu aceito que não tenho movimentos em minha perna e eu viverei assim para o resto de minha vida se esse for o plano do Senhor para mim. Realmente cheguei naquele ponto em que estou feliz com quem eu sou. Foi neste ano que cheguei a aceitar isso… Lembro-me de ter expressado isso em minhas orações, me rendido e me submetido completamente à vontade do Senhor. Mas, no final da oração, eu disse, ‘mas se existe algum milagre reservado para mim, que possa acontecer.”

Há pouco mais de dois meses, em julho deste ano, Monique postou em suas redes sociais que está recuperando os movimentos e o controle de sua coxa direita aos poucos. Disse que os milagres estão vindo em sua direção. “Para todos aqueles que estão orando por mim, quero dizer que sou extremamente grata a cada um de vocês. Milagres existem? Sim, e eu sou prova disso.” 

Mesmo em meio a um tratamento tão intenso, Monique nunca deixou de compartilhar o evangelho e continuar o trabalho que começou como missionária. Agora ela procura maneira diferentes de compartilhar o que acredita.

Fonte: Church News
Foto: Cortesia Monique McDown

“Não preciso mais usar uma plaqueta. Foi um processo e não foi fácil. É triste voltar para casa e eu ainda sinto falta da missão todos os dias. Mas, eu sei que minha missão ainda pode continuar e eu sei que todos nós podemos ser missionários, tendo um chamado oficial ou não.”

A experiência de Monique tem fortalecido a fé de muitos por causa de seu exemplo de perseverança e confiança no Salvador. A esposa de seu Presidente de Missão, Cheri Hart, compartilhou que sente que a missão de McDown é a de influenciar as pessoas. Os pais de Monique também compartilharam o bom exemplo que a filha está dando. “No ano passado, ela me ensinou sobre ter fé em algo que não se vê e que você não sabe se realmente vai acontecer. Ela sempre soube que as coisas iriam melhorar… Todos os dias, ela faz ou diz algo que me ajuda a ser mais fiel,” disse Nancy McDown, a mãe de Monique. 

Seu pai também diz, “Aprendemos muito porque ela continuou com pensamentos extremamente positivos, confiando em Deus com fé e otimismo. Ela nos ensinou que essas coisas podem te tornar uma pessoa melhor e é isso que tem nos feito muito orgulhosos dela, que ela permitiu que essa situação fizesse dela uma melhor pessoa.”

Monique McDown diz que se sente mais próxima de Jesus Cristo por causa desta experiência. “Tenho o conhecimento que sou uma filha de Deus, independente de minha capacidade física. Conheço meu valor. Sei que sou uma filha de Deus e que Jesus Cristo é o meu Salvador e que Ele me conhece pessoalmente. Ele está comigo em cada segundo. Sinto que a maior mudança que me ocorreu foi a de que agora eu tenho alegria a que não tinha antes e isso veio por causa de meu relacionamento com Jesus Cristo.”

Fonte: Church News

O post Missionária atropelada durante a missão continua a pregar o evangelho em casa apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *