Você está dando a devida atenção ao seu testemunho?

Eu sempre amei o evangelho desde que era uma garotinha. Eu amava ler meu Livro de Mórmon ilustrado, colorir desenhos de Jesus Cristo e orar por membros de minha família. Mas como o evangelho sempre foi uma importante parte de minha vida, às vezes me pego não dando o devido valor ao meu testemunho.

Quando eu voltei de minha missão, eu estava bem otimista e achei que conseguiria continuar meu estudo das escrituras a cada dia por uma hora inteira. Eu disse a mim mesma que iria ler pelo menos trinta minutos por dia, que me ajoelharia em oração pelas manhãs e pelas noites, escreveria anotações detalhadas sobre as reuniões de domingo e iria ao templo semanalmente sempre que possível.

Infelizmente, essa ideia foi rapidamente por água abaixo.

Em pouco tempo, me distraí com todas as coisas divertidas que a vida tinha para me oferecer: mandar mensagens para meus amigos, assistir filmes e televisão, ler livros românticos (não me julgue) e um milhão de outras coisas. O evangelho foi rapidamente colocado de lado e trocado por atividades mais “divertidas.”

Não era que estava ignorando o evangelho, porque eu realmente não estava fazendo isso. Na maioria das vezes, eu ainda lia as escrituras, orava e frequentava o templo ocasionalmente.  A diferença era que eu não estava fazendo tudo isso com meu coração e sendo completamente sincera em minhas ações, eu estava com preguiça. Eu lia um pouquinho das escrituras a cada dia sem realmente prestar atenção no que estava lendo e costumava cochilar enquanto orava (que eu fazia no conforto de minha cama). As atividades espirituais que eu tanto amava – que ansiava por fazer – se tornaram um checklist de coisas que eu precisava fazer antes de usar meu tempo em coisas que eram mais divertidas.

Mais ou menos um mês e meio depois de voltar para casa, percebi que não estava feliz. Eu me sentia completamente frustrada sobre um relacionamento no qual me precipitei demais, estava lutando com sentimentos de dúvida e falta de propósito e me sentia totalmente sobrecarregada. Naquele momento, percebi que o principal problema que afligia minha vida se resumia em uma única coisa: tinha parado de priorizar meu relacionamento com Deus. Eu deixei meu testemunho passar batido. 

responde, sentir-se excluído

O Remédio para Parar de Achar que Tudo Está Bem

Percebi que eu precisava mudar algumas coisas simples em minha vida para mostrar ao Pai Celestial que meu testemunho era importante para mim e que eu queria fortalecê-lo ao invés de assisti-lo definhar. Eu não precisei mudar a maneira que vivia, pois já estava fazendo muitas coisas que precisava fazer para fortalecer meu testemunho.

O que realmente mudou foi minha determinação. Foi a mudança essencial que qualquer um de nós pode fazer com relação ao nosso progresso espiritual.

Minhas orações se tornaram mais sinceras e profundas à medida que pensei sobre o que eu precisava orar e ao considerar o dom maravilhoso que é poder falar com nosso Pai amoroso e perfeito. Comecei a preparar perguntas antes de meu estudo das escrituras e a procurar pelas respostas e a fazer a mesma coisa quando ia ao templo. Ao invés de descuidadamente beliscar alguns aperitivos espirituais – como fiz por meses -, comecei a alimentar minha alma com algo que me sustentasse – e minha sincera determinação, meu desejo profundo de realmente conhecer Deus e desenvolver um relacionamento com Ele fizeram toda a diferença.

Meu testemunho floresceu e eu descobri que eu era mais feliz. Eu era capaz de lidar com o estresse de uma melhor maneira e eu estava mais satisfeita com a minha vida. Tudo isso aconteceu porque eu estava intencionalmente alimentando meu espírito e reconhecendo o indescritível valor de um testemunho.

Entender o plano do Senhor para você

A Fé é Uma Escolha Diária e Ativa

Recentemente, ouvi algumas pessoas se questionarem se a fé é uma escolha – e eu pessoalmente acredito que é.

Há alguns meses atrás, estava falando com um conhecida que está afastada da Igreja. Nossa conversa foi ótima; nós ouvimos uma a outra e tentamos entender o que a outra estava tentando dizer. Particularmente, fiquei chocada quando minha amiga compartilhou que a fé não é uma escolha.

Ela me disse que leu algumas coisas sobre a Igreja (suponho que a maioria delas sobre a história da Igreja) que a fizeram ter certeza que a Igreja não era verdadeira. Ela me disse que em seu ponto de vista, ter fé não era uma escolha – ela então falou sobre fatos que diziam que a Igreja não era verdadeira. 

Como alguém que estudou muito sobre a história da Igreja, eu poderia ter compaixão por suas dificuldades – mas eu firmemente e educadamente discordei de seu ponto de vista;

“Ainda é uma escolha”, eu respondi. “É uma escolha ignorar as evidências que a Igreja não é verdadeira ou as confirmações espirituais, ignorar as experiências que você já teve anteriormente e disse que eram verdadeiras. De qualquer maneira, você está fazendo uma escolha consciente.”

A Igreja sempre será criticada – tanto em 1830, quanto nos dias atuais. Mas mesmo com críticas e acusações, ainda podemos decidir acreditar ao pensar em nossas próprias experiências. Não é uma escolha fácil – na verdade, pode ser algo incrivelmente difícil se considerarmos experiências de vida, provações e uma ampla variedade de fatores – mas é algo que vale a pena.

Em 2008, Elder Neil L. Andersen disse em seu discurso “Você Sabe o Suficiente”:

“Há vários anos, a filha de um amigo morreu num trágico acidente. Esperanças e sonhos foram destruídos. Meu amigo sofreu uma dor insuportável. Começou a questionar as coisas que havia aprendido e as que tinha ensinado como missionário. A mãe do meu amigo escreveu-me uma carta e perguntou se eu poderia dar-lhe uma bênção. Quando impus as mãos sobre sua cabeça, senti-me inspirado a dizer-lhe algo que nunca me ocorrera exatamente daquela maneira antes. A inspiração que tive foi: fé não é apenas um sentimento, é uma decisão. Ele precisava decidir ter fé.

Meu amigo não sabia tudo, mas sabia o suficiente. Ele escolheu o caminho da fé e da obediência. Caiu de joelhos. Seu equilíbrio espiritual foi recuperado.”

Assim como nessa experiência, podemos escolher alimentar nossos testemunhos através das coisas que Deus nos proporciona: a oração, o estudo das escrituras, uma congregação cheia de fiéis, discursos da conferência geral e tantos outros recursos. É fácil não dar a devida atenção aos nossos testemunhos. Este é o maior erro que podemos cometer.

Por outro lado, uma das melhores decisões que eu já tomei em minha vida foi a de mostrar a Deus que sou grata por meu testemunho ao alimentá-lo todos os dias.

Por causa disso – por escolher ter fé a cada dia – meu espírito está mais feliz do que nunca. 

Traduzido por Marie Sunaga. Esta é uma tradução do artigo escrito por Amy Keim e publicado originalmente no site thirdhour.org o título “The Danger of Taking Your Testimony For Granted”.

O post Você está dando a devida atenção ao seu testemunho? apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *