Como parar de desperdiçar a sua vida

“Pois eis que esta vida é o tempo para os homens prepararem-se para o encontro com Deus; sim, eis que o dia desta vida é o dia para os homens executarem os seus labores”. (Alma 33:32)

“(…) Se não fizermos melhor uso de nosso tempo nesta vida, virá a noite tenebrosa, durante a qual nenhum labor poderá ser executado”. (Alma 33:34)

Nesses trechos, Alma nos adverte firmemente a respeito do tempo que temos nessa vida. Muitas vezes, erroneamente, podemos ter vivido ou ainda estarmos vivendo, como se não fossemos prestar contas do que aqui fazemos.  Em concordância com isso, lembremos-nos da escritura de 2 Néfi 28:7-9, que diz:

“Sim, e haverá muitos que dirão: Comei, bebei e alegrai-vos, porque amanhã morreremos; e tudo nos irá bem. E muitos também dirão: Comei, bebei e diverti-vos; não obstante, temei a Deus — ele justificará a prática de pequenos pecados; sim, menti um pouco, aproveitai-vos de alguém por causa de suas palavras, abri uma cova para o vosso vizinho; não há mal nisso.

E fazei todas estas coisas, porque amanhã morreremos; e se acontecer de sermos culpados, Deus nos castigará com uns poucos açoites e, ao fim, seremos salvos no reino de Deus. Sim, e haverá muitos que ensinarão desta maneira doutrinas falsas, vãs e tolas; e encherão o coração de orgulho e procurarão esconder profundamente do Senhor os seus desígnios secretos; e farão as suas obras às escuras.”

Será que estamos vivendo essas doutrinas falsas ou temos consciência de que nosso tempo aqui é valioso e deve ser bem vivido?

E quando mencionamos a expressão desperdiçar tempo, estamos diretamente relacionando a expressão desperdiçar a vida literalmente!

Hoje, gostaríamos de sugerir algumas reflexões que podem nos ajudar a identificar se isso está acontecendo conosco.

1)  Pergunte-se: poderia ter sido melhor?

Obviamente, esse é um ponto que todos nós em um momento ou outro, já pensamos. Pensamos que poderíamos ter sido melhores ou feito algo de forma melhor. No entanto, o problema reside no que acontece depois da reflexão. Se depois de cuidadosa reflexão, sentimos que apesar de tudo, poderíamos ter sido melhores do que fomos, há algo que deve ser analisado.

Por outro lado, se depois de uma análise rigorosa, sentimos que fomos o melhor que poderíamos ter sido, mesmo que não tenhamos tido tanto sucesso quanto esperávamos, estamos no caminho certo. E aí, acha que poderia ter sido melhor ou você deu o seu melhor com os recursos que tinha?

2)  Todo tempo que passa online é mesmo necessário?

Ah as redes sociais! Elas roubam nosso tempo, matam nossos sonhos e nos aprisionam facilmente, se não formos cautelosos. O tempo que passamos online é mesmo necessário? Muitos de nós trabalhamos online. E-mails e mensagens de WhatsApp são parte fundamental de nosso dia a dia no trabalho. Mas ouse se perguntar se todo tempo que passa online é realmente necessário. Se sua resposta for não, reduza imediatamente e comece a aproveitar a vida off-line.

3)  Você se concentra no que realmente importa?

O que tem merecido sua atenção ultimamente? É a nova série da NetFlix? É o lançamento novo no cinema? É o carro? A moto? A viagem para Paris? A promoção no emprego? Sua família? Seu casamento? Seus filhos? Sua saúde? Muitas vezes, desperdiçamos nossas vidas gastando nosso tempo com aquilo que não deveria ser nossa maior prioridade. Pergunte-se: você se concentra no que realmente importa?

4)  O tempo é curto.

Essa é uma preciosa verdade: o tempo é curto. Erroneamente e infelizmente, achamos que teremos muito tempo. Todavia, a verdade é bem outra: o tempo é curto. Precisamos nos precaver. Precisamos voltar nossos pensamentos e ações para aquilo que é realmente importante e deixar de lado, aquilo que é supérfluo.

 Concluindo…

A verdade, é que todos nós, sabemos bem quando estamos desperdiçando nossa vida, quando não estamos aproveitando bem nosso tempo. Podemos e devemos recalcular a rota e mudar a direção agora. Ele está sempre ao nosso lado para nos ajudar a fazer as modificações necessárias.

O post Como parar de desperdiçar a sua vida apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *