Terapeuta responde: não trate seu cônjuge “como gostaria de ser tratado”. Saiba o que fazer

“Trate os outros do jeito que gostaria de ser tratado.” A Regra de Ouro tem sido o padrão de comportamento em amizades, parcerias de negócios, atendimento ao cliente e muito mais. No casamento, no entanto, ela pode realmente acarretar problemas. Posso sugerir um acréscimo?

“Trate seu cônjuge da maneira que ele(a) gostaria de ser tratado(a).”

Como amar o seu cônjuge do jeito que ele precisa ser amado

Todos nós temos necessidades, algumas em comum com nossos parceiros, algumas únicas para nós mesmos. Só porque você gosta de passar tempo com ele, não significa que o seu cônjuge também goste. Você pode gostar de massagem nos pés; seu cônjuge pode preferir que você coce as costas dele. Você pode desejar ouvir palavras de amor; seu cônjuge pode não ser tão bom com as palavras e prefere expressar por meio de ações atenciosas. Seu(sua) esposo(a) pode primeiramente expressar o amor sexual, enquanto você pode precisar de um toque afetuoso não sexual durante o dia para sentir-se amado (e para ajudá-lo(a) a conectar-se mais tarde). Você pode apreciar um presente surpresa, enquanto seu cônjuge prefere ir ao shopping e escolher o presente.

Em seu famoso livro As Cinco Linguagens do Amor, Gary Chapman, descreve cinco maneiras pelas quais recebemos e demonstramos amor: palavras (declarações), atos de serviço, presentes, tempo de qualidade e o toque físico. Tendemos a modelar e esperar que nosso(a) companheiro(a) demonstre amor da maneira que queremos. Se valorizamos palavras, dizemos palavras de amor. Se valorizamos o tempo de qualidade, damos tempo de qualidade, etc. Isto porque estamos praticando a Regra de Ouro (tratando nosso cônjuge como queremos ser tratados). Mas se ele possui uma “linguagem de amor diferente”, a mensagem de amor não será transmitida claramente.

Converse com seu cônjuge. Fale como você gostaria que ele ou ela demonstre afeto e saiba o que gosta, a fim de sentir o seu amor. Você pode ser uma pessoa mais do tipo de “toque físico”, mas se seu cônjuge precisa de palavras de amor, ou se há qualquer outra diferença entre os dois, lembre-se de amá-lo da maneira que ele sinta-se amado, não como você quer amá-lo. Isso pode tirá-lo de de sua zona de conforto, mas a retribuição vale a pena.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Terapeuta responde: meu cônjuge fica defensivo quando peço para ele mudar

O post Terapeuta responde: não trate seu cônjuge “como gostaria de ser tratado”. Saiba o que fazer apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *