Terapeuta SUD fala sobre o que é amor verdadeiro

Uma das histórias de amor mais profundas do Antigo Testamento é a história de Jacó e Raquel. Quando Jacó viu pela primeira vez Raquel, ela estava cuidando das ovelhas de seu pai (Gênesis 29: 9-10). Jacó não perdeu tempo e tirou a pedra que era a tampa do poço para que as ovelhas pudessem beber.

Aprendemos com o relato em Gênesis que, logo após Jacó conhecer Raquel, ele a beijou. Ou alguns versículos foram perdidos ou Jacó realmente não perdeu tempo.

Aprendemos também que o pai de Raquel, Labão, também era tio de Jacó. E o rapaz estava ansioso para ter Raquel como esposa. Como ele tinha pouco dinheiro ou bens materiais para um dote, ele se ofereceu para trabalhar por sete anos como empregado de Labão a fim de ter Raquel como esposa (ver Gênesis 29: 17–18).

“Assim, serviu Jacó sete anos por Raquel; e foram aos seus olhos como poucos dias, pelo muito que a amava.” (Gênesis 29:20 ). Como muitos leitores da Bíblia sabem, no final de sete anos, Labão enganou Jacó entregando-lhe Lia em vez de Raquel (ver Gênesis 29: 24–26).). Labão explicou mais tarde que em seu país, era uma regra dar a filha mais nova em casamento antes da mais velha. Na noite de núpcias, Lia teria ficado coberta de roupas, por isso, foi somente na manhã seguinte que Jacob percebeu que havia consumado seu casamento com a mulher errada. Labão entregou Raquel a Jacó uma semana depois, mas ele teve que trabalhar mais sete anos sem pagamento.

o evangelho

Embora haja muito mais nessa história, um princípio-chave é que o amor verdadeiro requer sacrifício e trabalho. No caso de Jacó, ele trabalhou por catorze anos antes que sua esposa fosse sua. Para aqueles de vocês que pensam que você pode estar apaixonado, você estaria disposto a pagar um preço tão alto por um(a) companheiro(a) eterno(a)?

Conheço um jovem que achava que estava apaixonado, mas quando sua namorada perguntou se ele a esperaria por um ano e meio enquanto ela servia em uma missão, ele respondeu dizendo: “Provavelmente não”.

Dezoito meses são nada em comparação com o que Jacob estava disposto a sacrificar. Quando estamos verdadeiramente apaixonados, chegamos a entender o que o sacrifício realmente significa. Nossas próprias necessidades tornam-se menos importantes do que as necessidades de nosso futuro cônjuge. Mas quando se estivermos a trabalhar para ter nosso futuro cônjuge e estivermos realmente apaixonados, o tempo vai passará voando.

segredo do casamento de sucesso

O amor exige sacrifício

Vamos descrever um cenário típico na Universidade Brigham Young ou em qualquer outro instituto de religião da Igreja. Um jovem e uma jovem se encontram e começam a namorar. Eles começam a sentir um apego romântico um pelo outro. Com o tempo, seus sentimentos um pelo outro crescem e se intensificam. Então eles começam a sentir que não podem viver sem o outro. Sendo pessoas fiéis e honradas, eles mantêm os padrões da Igreja e guardam a lei da castidade. Em pouco tempo, eles se abraçam e olhando para o templo. Dentro de alguns meses, eles ficam noivos. Ansiosos para se casar, eles esperam a data do casamento. Finalmente a data chega, cumprindo uma meta e vida de se casamento no templo e uma lua de mel feliz. Agora isso é amor verdadeiro, certo?

Bem, não exatamente. Vamos chamar esse cenário de uma oportunidade para desenvolver, ou talvez até mesmo, começar a sentir o amor verdadeiro. Mas o amor verdadeiro em sua plenitude virá somente com o tempo, à medida que nosso compromisso e fidelidade forem testados. O amor  verdadeiro deve incluir tanto uma atitude altruísta quanto ações altruístas.

Olhando para o nosso exemplo, o que acontece durante o namoro, noivado e o período de lua-de-mel que é motivado por causa de atitudes e ações altruístas? Embora existam oportunidades para servir uns aos outros e fazer sacrifícios, as experiências de vida significativas que realmente constroem, testam e fortalecem o amor geralmente não ocorreram neste ponto. O amor se constrói com o tempo e se intensifica à medida que os casais experimentam a vida e aprendem a amar o outro mais do que a si mesmo. O amor se desenvolve quando os casais aprendem a trabalhar juntos e a satisfazer as necessidades um do outro. Além disso, ninguém pode verdadeiramente amar outra pessoa sem sacrifício.

Frases de Jesus

Portanto, ao se preparar para o casamento, pergunte-se: “O que eu realmente fiz para meu futuro cônjuge?” Há mais alguma coisa que você possa fazer? Somente quando você começa a fazer sacrifícios por outra pessoa, o verdadeiro amor começa a florescer. Em 1 Coríntios 13 , aprendemos que a caridade, ou a pessoa caridosa, é sofredora, benigna, não é invejosa, não se irrita facilmente (1 Coríntios 13: 4–6). Ou, em outras palavras, pessoas caridosas amam seu cônjuge mais do que amam a si mesmas, e colocam as necessidades e desejos do cônjuge antes delas.

Minha filha mais velha e eu costumava conversar sobre amor verdadeiro quando ela estava no ensino fundamental e ensino médio. Brittany me contava sobre jovens casais em sua escola que estavam profundamente apaixonados, o quão fofos eles estavam juntos, e como eles seriam casados ​​por centenas de anos porque eles eram “tão perfeitos um para o outro”.

Eu explodia sua bolha dizendo “Na verdade, Britt, eles não estão realmente apaixonados – eles realmente não sabem o que é amor. Você não pode saber o que é amor verdadeiro quando está na nona série ou primeiro ano do ensino médio.” Brittany ficava bastante chateada, mas eu explicava que esses casais não tinham ideia do que significa amar alguém mais do que eles mesmos e desistir de coisas que eles querem para que a outra pessoa seja feliz. Não estou convencida de que casais jovens tenham maturidade ou experiências de vida para amar alguém tão profundamente.

um chamado, benção patriarcal

Eu então perguntava a Brittany: “E se a garota sofresse um terrível acidente e seu rosto ficasse gravemente queimado? Se o rapaz tivesse uma doença e ficasse paralisado e confinado a uma cadeira de rodas para o resto de sua vida? Você acha que esse casal ainda estaria apaixonado? ” Em todos os casos, Brittany dizia:“ Provavelmente não.”

Eu conversava com ela sobre maridos que acordam cedo e entregam jornais para que sua família possa ter comida na mesa; de esposas que ficam até a meia-noite ajudando seus maridos com um projeto do trabalho ou da faculdade; de homens levando suas esposas em cadeiras de rodas; de mulheres tendo filhos e sacrificando completamente seus belos corpos; de casais cuidando uns dos outros quando estão doentes.

Eu explicava a ela: O verdadeiro amor nasce e é criado de sacrifício, trabalho e esforço. Minha filha estava um pouco confusa porque, em sua mente jovem, se o casal perfeito se olhasse um para o outro suspirando e batendo os cílios, eles viveriam felizes para sempre. Agora que Brittany é casada, ela entende exatamente o que eu estava tentando ensinar a ela. Quando você realmente ama alguém, você está disposto a dar a sua vida pela sua felicidade.

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

O Élder Holland dá dicas de como obter sucesso no amor

The post Terapeuta SUD fala sobre o que é amor verdadeiro appeared first on maisfe.org.

O post Terapeuta SUD fala sobre o que é amor verdadeiro apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *